Notícias

Alunos de Camboriú se formam no Programa Tatu de Educação Socioambiental
08/11/2018
Compartilhar:

Cerca de 50 crianças e adolescentes receberam a certificação de conclusão do Programa Tatu de Educação Socioambiental, promovido pela Fundação do Meio Ambiente de Camboriú (Fucam), nesta quinta-feira, dia 8. Os alunos foram certificados como agentes ambientais mirins após oito meses de aulas teóricas sobre variados temas ligados à preservação do meio ambiente.

“Este é um ato simbólico. Ficamos gratos pelos alunos terem escolhido esse projeto, já que passaram por processo seletivo para participar”, compartilha a presidente da Fucam, Liara Rotta Padilha Schetinger. “Trabalhar defendendo o meio ambiente é algo difícil. A partir de agora, fica a missão para eles, como cidadãos, de dividir o que aprenderam. Nós devemos ser a mudança que queremos que o mundo tenha”.
 
Bianca Koizumi, de 10 anos, se inscreveu para o Programa Tatu por curiosidade. A aluna do Colégio Recriarte gosta de mexer com a terra; adota, desde pequena, posturas para não poluir o meio ambiente; e gostou de aprender sobre formas de poluição durante os encontros.
 
A solenidade certificou alunos das escolas municipais Andrônico Pereira, Anita Bernardes Ganancini, Caic – Jovem Ailor Lotério, Domingos Fonseca, Lucinira Melo Rebelo, Marlene Pereira Zuchi, Professora Ivone Teresinha Garcia e Profº Artur Sichmann; da escola estadual Amadio Dalago; e do Colégio Recriarte. Para o vice-prefeito, Ramon Jacob, o contraturno escolar é um acréscimo significativo à vida dos alunos. “Tudo é um conhecimento a mais. Daqui podem sair engenheiros ambientais, biólogos, sanitaristas”, finaliza.
 
Os encontros do Programa Tatu de Educação Socioambiental foram realizados de março e novembro, nos polos Centro e Monte Alegre, ministrados pela educadora ambiental Teresinha Dalla Rosa. Além das aulas, os alunos também participaram de visitas técnicas.
Todos os direitos reservadosPrefeitura de Camboriú / Santa CatarinaPrefeitura de Camboriú / Santa Catarina
Desenvolvido por BRSIS